sexta-feira, 6 de julho de 2012

"DEPOIMENTO DE COMO PROCEDER DENUNCIA DE ASSÉDIO MORAL"


  Curitiba, 04 de Novembro de 2010
À
MTE. Ministério do Trabalho e Emprego
DRT-PR. Delegacia Regional do Trabalho do Paraná
A/C Senhora ........( Aqui por norma de aceite não foi divulgado o nome do Servidor recebedor ) – Comissão da Igualdade e Combate à Discriminação.
           
                                               Prezada senhora,
            Precisamente há 20 anos, presto Serviços no Hospital de Clínicas da UFPR, com vínculo contratual celetista convênio FUNPAR, sob a matrícula 3977 dados cadastrais Rosangela Nunes Ferreira Silva, casada, residente e domiciliada nesta capital à Rua: Joel Pedrini nº 25 casa 02, Bairro-Uberaba / CEP. 81.570.500, portadora do RG. 3.035.6870 CPF. 353.590.219-34 fones para contato (30267014 ou 96266165). Isto posto prossigo dizendo que apesar de militar durante muito tempo em prol dos trabalhadores no campo Sindical, nunca me prevaleci da política para galgar nenhum benefício que não fosse o de interesse comum coletivo. Sempre respeitei direitos e deveres, seguindo a hierarquia para obter soluções quando necessárias, mesmo quando estas  se colocavam contra os propósitos  corretos e até atravessavam a ilegalidade no afã de prejudicar-me como trabalhadora. Na verdade desde o início caminhar no terreno político sempre encontrei sérias dificuldades em retornar ao meu local de labor,quando o pleito Sindical se encerrava,fui muito perseguida, não raro minhas tarefas eram dobradas a fim de caracterizar que Sindicalista era “vagabundo” graças ao meu preparo profissional nunca houve mácula em minha ficha funcional, mesmo assim tive que num ato de puro desespero em provar que podia ser descaracterizada essa pecha, filiei do Sindicato, cujo qual era pioneira desde a implantação do mesmo no seio da base da UFPR. Qual, tal atitude só fez piorar minha situação. Motivo este que me levou a usar o termo “Reincidente” desde 2008, quando travei uma guerra contra uma das Diretoras naquela ocasião em que tive que acorrer a esta delegacia para mediar à questão, episódio este que figura num processo inicial de Assédio Moral, desde então. Bem tendo feito todas esta elucidações como forma de relembrar fatos que só continuarão sem precedentes, até os dias de hoje em que novamente me encontro de atestado por 15 dias, pois minha saúde psíquica e emocional encontra-se deveras debilitado já pedi movimentação, mas fora negado, além disso, a nova gerente que é do mesmo vínculo celetista que eu, disse não concordar com rotina única por trabalhador e justificando a falta de funcionário, não só me trocou de setor, sem um período de adaptabilidade, sem levar em consideração o acúmulo de informações que ora teria armazenado ao longo de um ano e meio, estrategicamente colocada sob a secretaria da gerência a qual desempenhava tarefas múltiplas tais como: Almoxarife, cobertura de tarefas de colegas que cumpriam férias e ou atestados, inclusive relatora do colegiado e da CPR. (Comissão de Proteção radiológica da Unidade), sem o mínimo respeito chamou um dos servidores, cujo qual passaria a laborar a partir daquele momento e praticamente me destituiu de todas as atribuições, alegando que não precisaria mais da minha pessoa na gerência e quando indagada por mim, limitou-se a dizer que eu não me preocupo-se com o almoxarifado ela já teria um colega para ocupar o lugar e quanto às outras funções ela também já estaria resolvendo, foi quando então eu cobrei dela que se coloca de forma documental minhas novas atribuições, pois quando eu vim da Medicina Nuclear, local que atuava desde 2008 por intermediação da DRT, é que comecei a desenvolver várias atribuições conforme supracitado, sem posição definida por POP. Segue em anexo cópia (Procedimento Operacional Padrão de Uni-la Unidade de Imagem e Radioterapia- HC) das novas rotinas que deveriam ser cumpridas por mim doravante, no novo setor (secretaria da Tomografia, Litotripsia e Ressonância Magnética da UNIR). Assim sendo, devo retornar de atestado no próximo dia 08/11/10(segunda-feira) e tenho consulta de retorno com a Médica Neurologista marcada para o dia 12/11/10, como eu havia dito anteriormente, o servidor que atua pela manhã deve estar de férias neste mês de Novembro, logo o ambiente que devo encontrar seja de confusão e estressante, para tanto apelo a esta delegacia, providências no tocante se necessário for, vir a intermediar minha demissão, conforme versa no ARTIGO 483 da CLT (Demissão Invertida) e também se valendo do contido na ACPU8/2002 em que figuram como Rés – UFPR e FUNPAR cujo procurador do trabalho é o MD. Ricardo Bruel da Silveira, que concedeu como última prorrogação do prazo para Execução da Extinção das Fundações conforme também determina o Governo Federal. Quero pelo menos ter o meu direito assegurado, uma vez que vislumbro somente a continuidade desta situação massacrante e insuportável. Desde já agradeço e fico no aguardo do seu pronunciamento.
                                                                                                          Atenciosamente,

                                                                                  Rosangela Nunes Ferreira Silva

SEGUE EM ANEXO DOCUMENTOS QUE EMBASAM PEDIDO DE INTERMEDIAÇÃO.
1-Relato denúncia de Assédio Moral provocado por servidor ao MP. Inicial (datado de 05/08/2009)
2-Relato simultâneo enviado à DRT, sintetizando ocorrido e provando reincidência desde 2008. (datado de 10/08/2009)
3-OFC. 3057/2010-PRDC/PR do MP, pedindo manifestação (datado de 27/04/2009)
4-Resposta manifestada por Rosangela ao MP. (datado de 20/05/2010)
5-OFC. 10088/2009-PRDC/PR do MP, pedindo nova manifestação (datado de 17/11/2009)
6-Resposta manifestada por Rosangela ao MP. (datado de 07/12/2009)
7-Relato de Informações complementares de Rosangela ao MP. (datado de 02/04/2010)
8-OFC. 6296/2010-PRDC/PR DESPACHO FINAL DO MP. AO PA.1.25.000.002533/2009-48
9-Relato Denúncia de Rosangela – DRT. Cobrando direitos (datado de 22/08/2010)
10-Atestado Psiquiatria que afastou para tratamento (datado de 24/08/2009)
11-Parecer Médico Psiquiátrico conclusivo do período de quatro meses de tratamento, de Rosangela Nunes Ferreira Silva, fornecido pela PSIQUIÁTRA da UFPR. DRA. CARMEN LÚCIA SCHETTINI.
12-Cópia da ATA PÚBLICA Nº 10 do COLEGIADO DA Unidade que trocou a Gerente Mara Mesquita-Servidora Concursada. (datada de 22/06/2010)
13-Cópia da ATA PÚBLICA Nº 11 do COLEGIADO da Unidade que apresenta a nova gerente Núbia Marama A.M.Pereira- Funcionária Celetista, vínculo FUNPAR (datada de 03/08/2010)
14-Cópia do Formulário de Movimentação de Pessoal de Rosangela Nunes Ferreira Silva que fora negado. (datado de 21/06/2010)
15-Cópia do POP – Serviço de TOMOGRAFIA (Procedimento Operacional Padrão de a UNIR) (datado de 15/10/2010)
16-Cópia do MICROFLUXO - LITOTRIPSIA
17-Cópia do MICROFLUXO – RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
18-ATESTADO MÉDICO DE 15 DIAS (CID: F 41.9 DATADO DE 22/10/2010) de Rosangela Nunes Ferreira Silva
19-Receita de Remédio Controlado para uso durante o afastamento de (FLUOXETINA 20mg. (datado de 22/10/2010)
20-Cópia da ACPU 8/2002 – Rés UFPR x FUNPAR do MPT que concede última prorrogação do prazo para 31/12/2010. (datado
 
Postar um comentário