terça-feira, 2 de julho de 2013

O Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), da Universidade Federal do Ceará, está perto de se transformar no primeiro Centro de Alta Complexidade Oncológica (Cacon) 100% público

Hospital Universitário do Ceará será primeiro Centro de Alta Complexidade Oncológica totalmente público do estado

equipamento HUWC UFCO Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), da Universidade Federal do Ceará, está perto de se transformar no primeiro Centro de Alta Complexidade Oncológica (Cacon) 100% público no Estado, com novos serviços voltados para o tratamento do câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Beneficiado pelo Plano de Expansão da Radioterapia, do Ministério da Saúde, o HUWC será contemplado com um acelerador linear, aparelho utilizado no serviço de radioterapia com a função de emitir a radiação utilizada no tratamento. O equipamento custa cerca de R$ 1,3 milhão e requer, ainda, investimentos em instalação e infraestrutura de funcionamento.
De acordo com o Superintendente do Complexo Hospitalar da UFC, Florentino Cardoso, a expectativa é que o acelerador comece a ser utilizado a partir de 2014. "Com essas novidades, iremos atender a todas as faixas etárias e, assim, diminuir muito a fila de espera dos pacientes com câncer", afirmou Cardoso.
Atualmente, de acordo com o portal do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Estado conta com dois Cacons: o do Instituto do Câncer do Ceará (ICC), em Fortaleza, e o do Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Sobral. Entretanto, ambos têm parte do atendimento reservado à rede privada, o que não ocorre no HUWC.
São definidas como Cacon as unidades hospitalares que possuem condições técnicas, instalações físicas, equipamentos e recursos humanos adequados à prestação de assistência especializada de alta complexidade para o diagnóstico e tratamento do câncer. Esses hospitais devem, obrigatoriamente, contar com assistência radioterápica.
Em 2012, o Ministério da Saúde anunciou investimento de R$ 505 milhões para compra de 80 aceleradores lineares e para obras de ampliação e criação de serviços em unidades que não dispõem desses equipamentos.


Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC
Postar um comentário