quinta-feira, 16 de agosto de 2012

AGENDA COMEMORATIVA DO CENTENÁRIO DA UFPR É OFUSCADA POR ERROS


|

Erros na agenda comemorativa do centenário da UFPR



A propósito da agenda do centenário, distribuída pela UFPR, a professora titular aposentada Cassiana Lacerda protestou, nas redes sociais, acusando erros históricos: “Como explicar a reprodução do cartão postal da Rua Comendador Araújo datado de 1913 “onde se localizava o sobrado do ervateiro Manoel Miró, que abrigou a primeira sede da Universidade do Paraná” ? Generalidades sobre a rua Comendador Araújo em 1913, antes de reproduzir o referido sobrado? Confunde o não especialista, mesmo porque o cartão traz em primeiro plano a residência de Ascânio Miró, projetada por Cândido de Abreu, hoje sede de um banco.
Para quem sabe, ao fundo há outra residência (hoje demolida para dar lugar à sede de outro banco menos interessado no patrimônio), também projeto de Cândido de Abreu, para seu cunhado Manoel Miró. Apenas um detalhe: a primeira sede da Universidade do Paraná nunca foi nesse “sobrado”, mas a foto confunde”.
CRONOLOGIA FALHA

Reitor Zaki: barbaridades...
“Aliás, as duas casas dos irmãos Miró não são sobrados. O sobrado que sediou a Universidade do Paraná ilustra o mês de agosto (qualquer cuidado cronológico é mero detalhe) da Agenda 2012 e vem com a legenda: “Primeira Sede da Maternidade do Paraná1914”(para confirmar a foto não pode ser de 1914, pois aparece no Relatório da Universidade do Paraná publicado em 1913, cuja capa vem reproduzida na agenda).
Sendo justa destaco: a legenda em questão refere-se ao fato de o sobrado haver sediado a Universidade, mas o título anuncia outro conteúdo e como a fonte (vulgo letra) é pequena, difícil é quem leia. Sem comentários o fragmento de texto reproduzido para ilustrar o desenho da fachada de autoria de Baeta Faria”.
ANACRONISMO

Cassiana Lacerda: a ira “santa e justa”.
“Nada contra a obra “Arquitetura contemporânea no Brasil” de Yves Bruand, mas por que citar uma referência en passant sobre o edifício sede da UFPR quando temos a obra de Antonio Gonçalves Jr. “UFPR um edifício e sua história” editada pela FCC? Sobre o “projeto gráfico” só posso perguntar: quando o tema de um texto é histórico, o design gráfico precisa ser anacrônico? É simplesmente ilegível a impressão em sépia, dói na vista a foto enquadrada num pergaminho semi-enrolado contornado por volutas de almanaque de péssima qualidade gráfica.
É o reinado do kitsch. Fizessem um concurso com alunos de design e teríamos melhor resultado.
Poderia ir longe, mas são esses alguns exemplos da qualidade da edição que o Magnífico Reitor (Zaki Akel) nos presenteou”.fonte
www.icnews.com.br/.../erros-na-agenda-comemorativa...
Postar um comentário